Benvindo!

Agricultura Biológica

A agricultura biológica surgiu pela necessidade de inverter a tendência crescente de industrialização da agricultura e de diminuir os efeitos nocivos que esta acarreta para a saúde humana e para o meio ambiente, assumindo-se como um modo de produção de alimentos animais e vegetais, sem a utilização de aditivos químicos de síntese, de organismos geneticamente modificados, recorrendo a técnicas que procuram respeitar o equilíbrio dos ecossistemas agrários e a biodiversidade.

O termo foi utilizado pela primeira vez em 1940, no livro “Look to the land” de Lord Northbourne, relacionado com o conceito de que a exploração agrícola deve ser considerada como um organismo. Desde então, e com a industrialização crescente da produção agrícola, foram surgindo diversos movimentos até que em 1972 foi fundada a Federação Internacional de Movimentos de Agricultura Biológica, IFOAM na sua sigla original. Ao longo dos anos 80 a “consciência BIO” foi-se alastrando e em 1991 surge o primeiro regulamento da Comunidade Europeia que definiu as normas da produção vegetal segundo o modo de produção biológico. Em 2007 foi publicado o regulamento CE nº834/2007 que estabelece as normas da produção biológica e da rotulagem de produtos biológicos. 

 

“A produção biológica é um sistema global de gestão das explorações agrícolas e de produção de géneros alimentícios que combina as melhores práticas ambientais, um elevado nível de biodiversidade, a preservação dos recursos naturais, a aplicação de normas exigentes em matéria de bem-estar dos animais e método de produção em sintonia com a preferência de certos consumidores por produtos obtidos utilizando substâncias e processos naturais. O método de produção biológica desempenha, assim, um duplo papel societal, visto que, por um lado, abastece um mercado específico que responde à procura de produtos biológicos por parte dos consumidores e, por outro, fornece bens públicos que contribuem para a proteção do ambiente e o bem-estar dos animais, bem como para o desenvolvimento rural.”

(#1 do REG CE nº834/2007)

 

 

Os Princípios da Agricultura Biológica são:

 

  • Princípio da saúde: A agricultura biológica deve manter e melhorar a qualidade dos solos, assim como a saúde das plantas, dos animais, dos seres humanos e do planeta como um todo.

 

  • Princípio da ecologia: A agricultura biológica deve respeitar os ciclos naturais dos ecossistemas.

 

  • Princípio da Justiça: A agricultura biológica deve basear-se em relações justas no que respeita ao ambiente e às oportunidades de vida.

 

  • Princípio da precaução: A agricultura biológica deve ser gerida de uma forma cautelosa e responsável de modo a proteger o ambiente, a saúde e o bem-estar das gerações futuras.

 

Entendemos que a regulamentação é a única forma de garantir a qualidade dos produtos de agricultura biológica, uma vez que reforça a ação dos Organismos de Controlo na sua atividade de certificação e fiscalização, garantindo assim a idoneidade dos diversos intervenientes na produção, distribuição e comercialização de produtos biológicos, frescos e transformados.